Mulheres na construção civil – uma história de conquistas!

Mulheres na construção civil – uma história de conquistas!

O mercado da construção civil registra um grande crescimento da presença feminina em seus canteiros de obras. Por vezes, tirando o salto alto e abrindo mão da maquiagem, as mulheres que buscam a construção civil adotam os macacões e não têm medo dos respingos de cimento. Os melhores salários, a possibilidade de crescimento profissional e a sensação de liberdade em relação aos homens são os principais atrativos desse mercado para as mulheres. No post de hoje, em comemoração ao dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, vamos destacar as principais conquistas da presença feminina nesse setor!

No Brasil, a presença das mulheres na construção civil ainda é bem inferior se comparada à presença masculina. Porém, nessa última década, a participação feminina no setor aumentou cerca de 8%. Segundo dados do Ministério do Trabalho, o número de operárias saltou de 83 mil nos anos 2000, para 138 mil no final do ano de 2008. Atualmente, encontram-se ativas no mercado mais de 200 mil mulheres.

Porém, é importante ressaltar que a presença feminina na construção civil pode ir muito além do que se aponta nas estatísticas oficiais. Em nosso país, existem muitas mulheres que trabalham na área de forma autônoma, exercendo atividades que envolvem, principalmente, serviços de finalização e acabamento de obras. Os melhores salários se comparado às atividades consideradas essencialmente do mundo feminino, como empregada doméstica e babá, atraem cada vez mais mulheres aos cursos profissionalizantes do setor e, consequentemente, ao mercado de trabalho.

A falta de mão de obra qualificada também é um motivo pelo qual estão se empregando cada vez mais mulheres em áreas que, antes, eram consideradas essencialmente masculinas, como a construção civil. Atualmente, já é possível ver nos canteiros de obras mulheres que desempenham diversas funções, desde serventescarpinteirasajudantes de obraspedreirassoldadoras, até técnicas de segurança do trabalho e engenheiras civis.

Com consciência do crescimento feminino, algumas modificações que buscam atender melhor a mulher nesse campo profissional já podem ser observadas em alguns lugares do Brasil. Em alguns canteiros de obras já existe a implantação de banheiros para uso exclusivo feminino, assim como equipamentos de proteção individual (EPI) destinados exclusivamente para as mulheres.

O principal diferencial da presença de mulheres nessa profissão é que elas são muito mais detalhistas e cuidadosas ao manusear os equipamentos. Elas são mais requisitadas que os homens para as atividades que exigem mais paciência e precisão, como o acabamento das obrasrevestimentos de partes externas e a finalização dos detalhes. Quando a preocupação maior é a estética, a ajuda da força feminina faz a diferença.

As possibilidades de crescimento do setor no Brasil em virtude dos grandes eventos, como a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e as Olimpíadas, é um atrativo a parte. As grandes obras de construção de estádios, arenas e obras de mobilidade urbana aumentou bastante a demanda de pessoal qualificado. Segundo a Câmera Brasileira da Indústria da Construção – CBIC, o setor cresceu 5% em 2012 e 30 mil postos de trabalho estão à espera de profissional qualificado.

Outra questão que representa o crescimento e desenvolvimento do setor é o grande número de habitações de baixo custo que estão sendo construídas com o apoio do governo federal. Até 2014, o governo pretende mandar erguer aproximadamente 3 milhões de moradias para as pessoas de baixa renda do país.

Portanto, o mercado da construção civil no Brasil registra um grande crescimento acompanhado de uma maior profissionalização da mão de obra feminina. Algumas barreiras conseguiram ser quebradas e, atualmente, muitos profissionais da área estão percebendo que a mera força física deixou de ser critério decisivo na hora da contratação.

CONSTRUFRAN homenageia todas as mulheres que se dedicam com força de vontade, garra e muito prazer a essa profissão que é uma das grandes responsáveis pelo crescimento do país. Que esse dia da mulher reserve a todas as brasileiras momentos muito especiais, de conquistas e realizações de sonhos!

Limpeza caixa d’água de amianto

O amianto por ser um material resistente a corrosão e fogo e por ter baixo custo em sua produção, ainda é muito utilizado na indústria de materiais de construção, principalmente em  Caixas d’ Água e telhas.

Apesar de ainda no Brasil não existir uma legislação especifica sobre a utilização do amianto, alguns estados já vêm proibindo sua utilização, por entenderam que seu uso pode ser nocivo à saúde, principalmente por estar associado a diversas doenças pulmonares.

A inalação em indivíduos por períodos longos, pode levar a um aumento de câncer de pulmão e outras doenças crônicas

 A ingestão de água de uma caixa de amianto não quer dizer que pode provocar uma contaminação, mas caso, esta caixa apresentar rachaduras e processos abrasivos poderá soltar fibras de amianto e prejudicar a saúde do consumidor.

Uma limpeza de uma caixa d’água de amianto, por não poder ser esfregada por conta de soltar partículas do material, ela acontece mais superficialmente, não se removendo totalmente os biofilmes, tem o risco de ficar retido microorganismos e isso acaba prejudicando com o tempo o utilizador.

O ideal mesmo é que as Caixas d’ Água de Amianto sejam substituídas por caixas de Polietileno ou de Fibra.

Esses materiais, não alteram a qualidade da água, são mais fáceis para manutenção de Limpeza.

As lojas do Grupo Construfran hoje não trabalham mais com caixas de amianto, apenas Polietileno.

Dicas de como limpar o mofo

Dicas de como limpar o mofo

Existem diversas formas de limpar o mofo das paredes e móveis, no entanto, a solução faz uma limpeza temporária no local. Não resolve o problema, mas limpa o preto do mofo, que faz mal para a saúde, faz mal para o ser humano, e além disso, deixa a parede feia.

Para limpar as paredes externas do imóvel, aconselha-se que seja usada água sanitária, misturada com água e detergente. Nas paredes internas, a profissional usa desinfetante ou água oxigenada, diluídos em água. Para aplicar o produto, ela usa uma escova.

Os móveis que ficam próximos a paredes com mofo, podem ser contaminados pelos fungos, além disso, o mau cheiro pode penetrar na madeira. Ela relação a isso, a primeira dica, de acordo com a profissional, é retirar o móvel de perto do parede mofada, entretanto, caso não seja possível, ela explica que pode-se colocar um isopor entre a parede e o móvel. Isso impede que a umidade da parede chegue ao móvel.

Giz ajuda a reter a umidade do ar, diz especialista
Giz ajuda a reter a umidade do ar, diz especialista

Quando se descobre que tal lugar tem esse problema, o ideal é evitar encostar móvel nessa parede, porque abafa e a tendência é aumentar o mofo, porque os fungos se proliferam e você veda a umidade. Lembrando que a umidade na parede vai continuar.

Quanto ao mofo dentro dos armários, primeiro, se deve limpar o armário por dentro com vinagre de álcool puro. Em casos críticos, ferva o vinagre e quando ele estiver fervendo, coloque em um tabuleiro, uma forma de assar bolo, e coloca dentro do armário. Quanto maior a forma, parece que o vapor expande mais no armário e da um resultado melhor.

Depois, feche o armário e deixe o vinagre agir até esfriar. Com o mesmo vinagre, molhe um pano e limpe o armário. Mesmo que não tiver preto, mofado, o cheiro está impregnado na madeira, ou no MDF, então, deve-se limpar com o vinagre e, depois que limpar, deixe secar. Deixe o armário aberto, porque o vapor umedece. Pode ate colocar um ventilador para ajudar a secar.

Pó de café com gotas de limão neutraliza cheiro do mofo.
Pó de café com gotas de limão neutraliza cheiro do mofo.

As medidas dos produtos usados são meio a meio, de cada um. Isso serve para limpar o mofo. A água oxigenada tem que ser de 10 volumes, 3%, diluída com água. Também pode usar o vinagre, vinagre de álcool.

Após a limpeza, utilize pó de café com limão para tirar o cheiro do mofo e afirma que foi a única solução que encontrou. Como:

Em um pote, coloque o pó e pingue gotas de limão para umedecê-lo. Não é para molhá-lo. Coloque-o em um potinho dentro do armário. A quantidade depende do tamanho armário. Em um armário de duas portas, coloque dois potinhos, uma em cada canto, em uma vasilha de plástico. Escolha um pó bem cheiroso. Não pode ser a borra de café.

Essa técnica neutraliza o cheiro e não precisa ser tirada de dentro do móvel. Cubra a boca do pote com papel filme e faça furinhos, só tiro quando passa todas as chuvas do período o chuvoso.

Outra alternativa para conter a umidade do ar é o giz escolar. Quebre vários bastões de giz e coloque em um pote dentro do armário. As pessoas acham que o giz não funciona, porque acham que dois bastãozinhos de giz é suficiente, mas não. Pode usar meia caixa de giz lá dentro do móvel. Corte o giz no meio e coloque no cantinho do armário e deixo sempre.

Problemas causados à saúde

Segundo explica o alergista Daniel Strozzi o mofo é um fungo gerado pela umidade que pode provocar alergias respiratórias, como rinite, bronquite e asma. Ele afirma que a alergia é um processo inflamatório que provoca uma reação de sinais de defesa do organismo, como coceira e entupimento nas vias nasais, espirro e tosse. Ele explica que, quando uma pessoa alérgica a mofo, por exemplo, entra em contato com tal, o corpo tende a reagir.

“A gente avalia cada caso, mas, se o paciente é alérgico, ele não pode ficar em contato com o que causa a alergia. Com o mofo, por exemplo, quando ele dá o processo inflamatório, o paciente tem que resolver o problema e não pode ficar em contato. E onde tem mofo, pode ter o ácaro junto, que também pode trazer outros problemas respiratórios”, afirma.

Strozzi revela que as doenças causadas pelo mofo, em geral, não são graves, no entanto, uma rinite alérgica – moderada a grave – em uma criança, pode causar efeitos como dormir de boca aberta, ronco, noites mal dormidas e, consequentemente, gerar a queda no rendimento escolar.

“O nariz serve para respirar, filtrar e umidificar o ar para que ele chegue no pulmão adequadamente e, se a criança tem rinite, com o nariz inflamado, o corpo não consegue fazer esse processo e ele pode perder o rendimento em uma média de 30 a 90%”, completa o alergista.

Como evitar e tratar mofo nas paredes e móveis

Como evitar e tratar mofo nas paredes e móveis

Impermeabilização é principal meio de evitar, mas deve ser feita na obra

Com o período chuvoso e o aumento da umidade é normal a formação de manchas e mofos nas paredes, tetos e móveis. Em Goiânia, profissionais explicam como agir após o surgimento deste problema e como tratá-lo. Segundo eles, existem métodos temporários e definitivos para combater o mofo, como a impermeabilização, por exemplo, no entanto, o ideal é que ela seja feita durante a construção do imóvel.

O período chuvoso é entre os meses de novembro e março. No entanto, outubro e abril são considerados meses de transição do período chuvoso, por isso, também chove. Para realizar métodos de combate ao mofo, o ideal é que o clima esteja seco.

A área a ser impermeabilizada tem que estar bem seca ou não pega a impermeabilização. Além disso, no período de sol, o tempo facilita a secagem. Ideal é fazer na seca, depois que o problema acontece, o melhor é apostar nas  técnicas alternativas, pois a solução definitiva é inviável em relação ao custo benefício. No entanto, estes métodos temporários têm data de validade, já que duram entre um a cinco anos.

Uma das opções para remediar o problema, segundo o engenheiro, é fazer o tratamento superficial, que se trata de tirar a tinta e a argamassa com uma espátula, no local do mofo, e aplicar um produto impermeabilizante. Depois de seco o produto, é só amaciar e pintar a parede.

Outra alternativa é usar estilos de tinta como o grafiato, que possibilitam uma durabilidade maior da tinta. Algumas pessoas também usam a cerâmica ou as pastilhas, mas tem questão de estética e tem gente que não gosta. O problema é que depois de alguns anos, quando o mofo tomar conta da cerâmica, ela se solta e cai. Porque a umidade continua abaixo da argamassa para assento.

Impermeabilização
Em relação à impermeabilização,  o processo deve ser feito no momento da construção do imóvel com vários tipos de produtos disponíveis no mercado, como com mantas emborrachadas ou asfalto polimérico.

Tem que ter o cuidado de seguir com a manta e fazer a impermeabilização na parede, até acima do nível da terra. Em jardins ou áreas descobertas de estacionamento, por exemplo, deve ser feito acima do nível para evitar o contato com a umidade.

Teste de estanqueidade é feito após a impermeabilização
Teste de estanqueidade é feito após a impermeabilização

É necessário tomar cuidado com a impermeabilização de ralos, pois eles são propícios para causar infiltrações.

Os ralos são onde a água tem mais facilidade para entrar. Então, depois que preparamos a superfície para vir a impermeabilização, criando o caimento para o ralo, para quando vir a manta, tendo condições de fazer o acabamento e não ter problemas futuros

É muito importante que seja feito o teste de estanqueidade, depois da impermeabilização, para testar o processo deu certo. O teste é feito em qualquer tipo de local impermeabilizado.  Depois que impermeabiliza, deve-se deixar o local coberto de água, por até 72 horas, em toda a região impermeabilizada, para ver se tem vazamento ou se ficou tudo certo com a manta, se todos os cuidados foram eficientes.

Viafix da Viapol

Viafix da Viapol

O Viafix é um promotor de aderência que oferece alta resistência mecânica para concreto, chapiscos e argamassa. Ele evita a retração da argamassa e possui grande plasticidade.

Com produtos  Viapol é assim: usou, resolveu!


Os produtos da Viapol você encontra nas Lojas do Grupo Construfran com os melhores preços.

Pensando em Reformar ou Construir procure uma das lojas do Grupo Construfran – A solução para sua obra.

 

 

 

 

Click aqui e veja como usar e onde aplicar o Viafix