Conheça diferentes tipos de lareira e descubra a melhor forma de usar

Conheça diferentes tipos de lareira e descubra a melhor forma de usar

No friozinho do inverno, nada melhor do que uma casa bem quentinha e aconchegante, não é mesmo? Nessas horas, é comum logo pensar em comprar aquecedores de ambiente, mas uma opção ainda mais interessante e charmosa para os dias de frio é a lareira. Nada se compara ao efeito e ao clima que ela proporciona na decoração.

Há uma variedade enorme de modelos de lareira para escolher. E se você acredita que o recurso pode ser trabalhoso, a boa notícia é que, atualmente, existe uma infinidade de tipos de lareiras que podem ser instaladas de forma rápida e sem muito trabalho. Você pode encontrar desde modelos a gás até modelos portáteis. As formas e os materiais usados já não são mais aqueles tradicionais e complexos, como antigamente, e a maioria delas já nem precisa de chaminé. E para melhorar ainda mais, algumas podem ser reguladas até mesmo por controle remoto.

Quer saber como escolher a sua lareira ideal? A gente explica tudinho!

Os modelos de lareira mais usados são:

Lareira à lenha: É o modelo mais tradicional e conhecido. Requer mão de obra especializada para sua execução, além de ser necessária a utilização de chaminé (ou duto de exaustão) devido a queima da lenha. Geralmente são feitas em alvenaria, concreto ou metal. Além do modelo mais tradicional, existem hoje opções de lareiras suspensas, que deixam o ambiente com um ar mais moderno, pois o item fica fora do chão e preso somente pela chaminé.

Lareira ecológica: São os modelos que usam álcool ou etanol. Dispensam o uso da lenha e, por isso, não necessitam de chaminé. É o modelo mais versátil por ter uma potência mediana de geração de calor, o que a torna ideal para espaços maiores. Seu acendimento é rápido e prático e não gera nenhuma sujeira. Elas também podem ser portáteis.

Lareira a gás: Este é mais um modelo que não necessita de lenha para funcionar e, em função disso, dispensa o uso de dutos de exaustão. Existem dois modelos para esse tipo de lareira. Um deles é o linear, que vem com pedras vulcânicas colocadas sobre os queimadores. Essas pedras retêm o calor sobre o equipamento, mantendo a temperatura do ambiente por muito mais tempo. O outro modelo é o que usa lenhas de cerâmica refratária, que possuem um ótimo rendimento térmico. Esse modelo já vem com uma grelha que pode ser apoiada sobre qualquer superfície.

Lareira elétrica: É muito similar a um aquecedor, com um diferencial: reproduz em 3D a imagem das labaredas, proporcionando um conforto visual semelhante ao do fogo. É de fácil acionamento, para ligar esse modelo basta acionar um botão no controle remoto sem nem sair do sofá. Não requer limpeza interna e o brilho das chamas também pode ser controlados pelo controle remoto.

O que levar em consideração para escolher a lareira ideal?


Para escolher a lareira ideal, você precisa conhecer as vantagens e desvantagens de cada tipo. Ivan diz que as lareiras à lenha oferecem um prazer maior do que os outros modelos, pois o crepitar do fogo é agradável de se ver e ouvir. Além disso, no ponto de vista estético, elas se tornam o ponto de destaque do ambiente.

Por outro lado, uma das desvantagens dessas lareiras é a própria lenha. Sua queima gera fuligem e bastante fumaça, o que faz necessário o uso de chaminés. Uma outra desvantagem é o trabalho pesado de compra, armazenamento, manuseamento e limpeza de lenha e cinzas que resultam da sua utilização. “É necessário limpar as cinzas restantes, e a chaminé da lareira deve ser inspecionada por um profissional com alguma regularidade (por exemplo, uma vez por ano) para prevenir o acúmulo de resíduos que possam impedir a circulação de ar ou até causar um incêndio”, ressalta. A última desvantagem tem a ver com o aproveitamento do calor. Apesar da lenha aquecer rapidamente, ela também perde muito calor rapidamente, muitas vezes pela própria chaminé. Sendo assim, essas lareiras normalmente precisam ser grandes para esquentar um ambiente por completo.

No caso das lareiras a gás, uma das principais vantagens está no seu acionamento, que se dá apenas com a simples ativação de um botão. Outra vantagem é que as instalações de gás natural propiciam que esse modelo possa ser instalado em quase qualquer lugar da casa. “Sem chaminé, a eficiência do aquecimento aumenta, pois grande parte do calor acaba escapando pelos dutos de exaustão. Além disso, as lareiras à gás são uma solução mais saudável e limpa, uma vez que não há emissão de fuligem e fumaça que se formam na queima da lenha. A maior desvantagem dessas lareiras é principalmente relacionada a fonte de abastecimento. Em caso de falta do gás, a lareira fica inutilizável”.

Já as lareiras ecológicas são o melhor modelo para quem não quer perder o conforto que o fogo de verdade trás, mas também não abre mão da praticidade. “Esse modelo não requer qualquer tipo de instalação especial, não precisam de uma chaminé e possuem alto poder de calor, o que faz com que seja normalmente mais econômico do que os demais”, afirma Ivan. A desvantagem é que ela não possui um abastecimento contínuo como a lareira a gás, por exemplo. As lareiras ecológicas possuem capacidade para aproximadamente 6 litros de álcool, e quando ele acaba, o reservatório precisa ser reabastecido.

No caso das lareiras elétricas, a praticidade também é uma das grandes vantagens, pois, como já foi dito, não exige limpeza e você pode comandar através do controle remoto. A desvantagem é em relação ao consumo de energia. Quanto maior a potência, maior será seu consumo.

Onde usar?

As lareiras ficam lindas em qualquer ambiente e podem ser usadas em diferentes cômodos da casa. De acordo com Ivan, não existe uma lareira ideal para cada ambiente e, por isso, você pode escolher de acordo com seu gosto pessoal. Porém, a escolha deve ser pensada levando em conta um conjunto de características do local que vai receber a lareira: por exemplo, em um apartamento, se não houver um local para duto de exaustão, o modelo mais indicado é a lareira ecológica, pois para a instalação da lareira a gás, há necessidade de se fazer uma reforma para passagem de tubulação. Caso exista um local para duto de exaustão, o modelo à lenha pode ser usado sem preocupações.

No caso das lareiras à lenha suspensas: muitas vezes esse modelo não grada, pois acaba gerando fuligem e é mais difícil de acender e de manter o fogo quente do que os outros modelos. Se você for optar por esse modelo, tenha em mente que ele é pouco eficaz, por isso o tamanho da lareira deve ser proporcional ao espaço que você deseja aquecer.

Como deve ser feita a instalação?


De acordo com Ivan, cada um dos quatro modelos exigem especificidades diferentes na instalação:

Lenha: As lareiras à lenha exigem um maior planejamento na instalação, pois precisam de chaminés ou dutos de saída de fumaça. Como a lareira tradicional utiliza muito ar de combustão, é recomendado que se coloque uma grelha de ventilação em uma parede exterior próxima à lareira, a fim de evitar que o oxigênio do ambiente se esgote. A chaminé não deve ser nem muito alta, para os gases não esfriarem no meio do caminho e descerem, nem muito estreita, para que a exaustão não seja excessivamente rápida. Ela deve ficar de 0,5 a 1,0 m acima do nível da cumeeira mais alta da cobertura da edificação. Além disso, elas são revestidas com tijolo refratário, que conserva o calor, e uma tela frontal, que evita a saída de brasas.

Gás: Para a instalação de uma lareira à gás é preciso que ela tenha ligação com a tubulação de gás (encanado ou botijão) e uma fonte de energia elétrica para o acendimento, como se fosse um fogão. Fique atento se a lareira que você comprou possui sistemas de segurança regulamentados pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), para evitar acidentes. Certifique-se de que ela possui uma válvula que corta o fornecimento de gás, caso a chama apague, evitando que o gás se espalhe pelo ambiente. Veja ainda se o produto possui um sistema que mede a quantidade de gás carbônico no ambiente e desliga automaticamente quando a quantidade desse gás for considerada imprópria para a respiração. Para instalar uma lareira do modelo linear, é necessário fazer uma caixa de concreto ou alvenaria para acomodar os queimadores.

Ecológica:  Práticas, modernas e sustentáveis, as lareiras a álcool não requerem grandes modificações na infraestrutura onde serão instaladas. É de fácil instalação, basta encaixar a caixa de inox em uma base de alvenaria revestida ou em algum móvel, desde que o revestimento seja resistente ao calor. Pode ser, inclusive, transportável e colocada em diversos lugares. No entanto, para o equipamento funcionar com segurança é preciso instalar em um ambiente amplo com ventilação natural.

Elétrica: As lareiras elétricas podem ser encaixadas em um móvel de madeira ou de metal, em um nicho de alvenaria, gesso ou em qualquer outro projeto desejado, inclusive como se fosse um quadro na parede. Será necessária apenas uma tomada exclusiva e dimensionada e também de fácil acesso para que possa ser plugada e desplugada facilmente. Caso prefira, elas podem ser instaladas em móveis com rodízios para facilitar o deslocamento. Apenas a lareira elétrica pode ser embutida em móveis de madeira ou gesso. Em alguns casos, necessita de dutos de ventilação e ponto de energia.

Existem medidas mínimas de segurança a serem aplicadas, por isso analise o manual de instalação do produto, inclusive para saber qual o tipo de instalação a ser realizada. Mas lembre-se sempre: para garantir a compra ou construção de um produto de qualidade, é importante ficar atento aos mecanismos de segurança oferecidos pelo fornecedor e o prazo de garantia da lareira.

Nas lareiras à lenha, um dos revestimentos mais utilizados é a pedra natural. “Ela em si já é um elemento decorativo, e portanto a sua lareira não irá necessitar de muito mais decoração, além da que a própria pedra lhe concederá. Além disso, esse revestimento é super resistente ao calor e por isso muito indicado para esse uso. Além da pedra, pode-se usar também o concreto aparente, que confere um ar mais clean e moderno do que a pedra e também resiste bem a altas temperaturas. O metal também é muito utilizado em todos os modelos de lareiras por suportar bem o calor”, recomenda Ivan.

Empresa no segmento de pisos e revestimentos de concreto arquitetônico, a Castelatto oferece opções versáteis e inovadoras para todos os ambientes e estilos. Segundo William Chaves, gerente de SAC e qualidade da empresa,  não existe exatamente um ambiente correto para aplicar o produto, pois os revestimentos da Castelatto são muito versáteis. “A Castelatto desde o princípio vem com uma formulação de material que é o concreto arquitetônico, que trabalha a durabilidade do produto, a resistência, a baixa manutenção e a vida útil do material, que consegue ao longo de muitos anos trazer a mesma proposta e persistir com as mesmas características de quando foi comprado. Isto proporciona, não só para os clientes e proprietários, mas também para os profissionais, uma segurança no ato da especificação”, explica ele.

William sugere os mosaicos como uma das linhas muito bem utilizadas da Castelatto e que se aplica a lareira de uma maneira muito bonita e funcional. “É um produto de baixo peso e super versátil. Você pode optar pela paginação, pode criar modulações de diferentes tamanhos, onde a luz e sombra vão trazer bastante volume para lareira, criando formas e desenhos e fazendo com que o seu projeto fique único. É um produto simples de ser aplicado e fácil de ser utilizado. As cores são variadas e as texturas e os formatos podem trazer bastante beleza e incorporar volumetria nas lareiras”, explica.

Custo x benefício

Para facilitar, montamos um gráfico resumindo as principais vantagens e desvantagens de cada tipo de lareira para você avaliar o custo-benefício de cada uma:

Aqui uma lareira ecológica com pedras vulcânicas decorativas.
Follow by Email