3 modos de usar espelhos para aumentar espaço em apartamentos

Usar espelhos para aumentar espaço em apartamentos pequenos. 3 dicas para ampliar apartamentos pequenos com o uso de espelhos na decoração, de forma elegante e muito sofisticada.

Quem mora em apartamentos pequenos sabe bem como é importante a valorização do espaço interno de cada ambiente, para que o imóvel seja confortável e ao mesmo tempo elegante.

Para elaborar a decoração destes apartamentos os moradores utilizam vários recursos, que visam ampliar o espaço interno de forma funcional, mas sem perder o charme e conforto que cada ambiente deve ofertar.

E um dos elementos que vem sendo muito utilizados para aumentar o espaço interno dos apartamentos pequenos é o espelho, que pode ser utilizado em vários tamanhos e modelos, e colocado em todos os cômodos do imóvel.

 

 

 

1. Iluminação e posicionamento

Um dos focos principais no uso dos espelhos na decoração de apartamentos é o aumento da luminosidade, que proporciona uma sensação visual de amplitude e também o melhor aproveitamento da iluminação natural no local.

E para conseguir este efeito os espelhos podem ser usados nas paredes ou nos móveis, em geral com tamanhos maiores do que os modelos convencionais, e que podem ser encontrados em vidraçarias especializadas.

2. Tamanhos diversos

Também é possível utilizar espelhos em tamanhos variados dentro dos apartamentos, e que vão proporcionar um foco mais direcionado, permitindo assim que outros elementos da decoração sejam valorizados, como a foto de família ou um vaso decorativo.

 

 

3. Escolha uma moldura

Outra dica de decoração para aproveitar melhor os espelhos é a escolha de molduras personalizadas, que além de elegantes, ainda vão deixar os ambientes bem decorados e amplos.

 

 

 

 

Ampliando ambientes com espelhos

E neste vídeo separamos mais algumas dicas que vão lhes ajudar a ampliar o espaço interno de seu apartamento com o uso dos espelhos na decoração, de forma simples e muito elegante:

 

Como descobrir vazamento de água em casa

Como descobrir vazamento de água em casa

Veja algumas dicas para descobrir vazamentos de água em sua casa, e com isso evite o desperdício de água, e também o pagamento de um valor muito alto na cobrança.

Aprenda como descobrir vazamento de água em sua casa. Ter água encanada dentro de casas e apartamentos é um dos requisitos básicos de saúde e boa qualidade de vida, tanto no preparo de alimentos como para limpeza e cuidados com a higiene. E a água chega a nossas residências através de um sistema de distribuição externo que é mantido por empresas de abastecimento, que são responsáveis pela limpeza e cuidados para que a água se torne potável para consumo.

Este sistema percorre um longo caminho até chegar ao hidrômetro de nossas casas. E do hidrômetro a água é distribuída para um reservatório de água (a caixa d’água), e posteriormente por canos até chegar às torneiras, na descarga e no chuveiro.

Descobrir Vazamento de água Dentro de Casa

Embora a água seja distribuída apenas pelas saídas de nossa casa, tem horas que ocorrem pequenos vazamentos de água neste sistema, o que causa o desperdício de água, e também o aumento da conta no final do mês, muitas vezes bem acima do valor normal de consumo.

Com isso separamos abaixo algumas dicas para descobrir vazamentos de água em casa, e com isso evitar o desperdício da água potável que recebemos diariamente:

  • Para descobrir vazamento de água do hidrômetro até a caixa d’água, você deve fechar todas as torneiras de sua casa, fechar o registro geral que vem da rua, e anotar o número que marca no medidor. Após uma hora confira o número, e se ele tiver aumentado é sinal de vazamento da rede de água;

Torneira Alimentação Direta

    • Em uma torneira com alimentação diretamente da rua você também pode fazer o teste do vazamento de água. Para isso feche o registro interno de sua casa, peque um copo cheio de água, vá até a saída de água da rua, abra a torneira e feche em seguida, colocando imediatamente o copo com água por baixo da torneira. Se você notar que a água foi sugada para dentro do cano, é um sinal de que pode haver vazamentos na rede;
    • Para detectar vazamentos dentro de casa você deve prender a boia da caixa d’água para que não entre água da rua. Faça uma pequena marcação no nível da água e aguarde por uma hora. Após isso veja se a água ainda continua no nível antes marcado. Se não estiver é sinal de que há vazamentos nos canos dentro de sua casa;

Torneira Pingando Água

      • Uma torneira pingando também é desperdício de água, e pode haver um vazamento de água perto. Para arrumar este problema basta trocar o courinho que fica por dentro dela. Este courinho é vendido em lojas de material para construção ou em supermercados, e pode ser trocado em casa de forma bem fácil, apenas tomando o cuidado de fecharo registro interno de água;
      • Jogue um pouco de pó de café na água do vaso sanitário e aguarde alguns minutos. Se o pó ficar imóvel ou afundar, não há vazamentos de água, mas se ele ficar se movimentando de um lado para outro você tem um vazamento de água no registroda descarga, que pode ser reparado através da troca do miolo interno, por um encanador especializado.

Aprendeu como descobrir vazamento de água em casa?

Limpeza caixa d’água de amianto

O amianto por ser um material resistente a corrosão e fogo e por ter baixo custo em sua produção, ainda é muito utilizado na indústria de materiais de construção, principalmente em  Caixas d’ Água e telhas.

Apesar de ainda no Brasil não existir uma legislação especifica sobre a utilização do amianto, alguns estados já vêm proibindo sua utilização, por entenderam que seu uso pode ser nocivo à saúde, principalmente por estar associado a diversas doenças pulmonares.

A inalação em indivíduos por períodos longos, pode levar a um aumento de câncer de pulmão e outras doenças crônicas

 A ingestão de água de uma caixa de amianto não quer dizer que pode provocar uma contaminação, mas caso, esta caixa apresentar rachaduras e processos abrasivos poderá soltar fibras de amianto e prejudicar a saúde do consumidor.

Uma limpeza de uma caixa d’água de amianto, por não poder ser esfregada por conta de soltar partículas do material, ela acontece mais superficialmente, não se removendo totalmente os biofilmes, tem o risco de ficar retido microorganismos e isso acaba prejudicando com o tempo o utilizador.

O ideal mesmo é que as Caixas d’ Água de Amianto sejam substituídas por caixas de Polietileno ou de Fibra.

Esses materiais, não alteram a qualidade da água, são mais fáceis para manutenção de Limpeza.

As lojas do Grupo Construfran hoje não trabalham mais com caixas de amianto, apenas Polietileno.

O que é a Argamassa?

 Argamassa é uma mistura homogênea de agregados, aglomerantes inorgânicos e água, contendo ou não aditivos, com propriedades de aderência e endurecimento, podendo ser dosada em obra ou em instalação própria (argamassa industrializada).

Em outras palavras é a mistura de cimento, água e areia em alguns casos, de um outro material ( cal, saibro, barro, caulim, etc.).

A mistura de cimento, areia e água é a base da massa usada na construção de casas e prédios.

As argamassas, assim como o concreto, também são moles nas primeiras horas, e endurecem com o tempo, ganhando elevada resistência e durabilidade.

A argamassa depois de seca une definitivamente tijolos, blocos, pisos, ladrilhos, reveste paredes,cerâmicas e tacos, etc…

Usada também para impermeabilizar superfícies, regularizar, (tapar buracos, eliminar ondulações, nivelar e aprumar) paredes, pisos e tetos. Dar acabamento às superfícies (liso, áspero, rugoso, etc.).

As misturas dos diversos ingredientes os pedreiros chamam de “traço“.

Funções do Revestimento de Argamassa

O revestimento de argamassa apresenta importantes funções que são genericamente:

· proteger os elementos de vedação dos edifícios da ação direta dos agentes agressivos;

· auxiliar as vedações no cumprimento das suas funções como, por exemplo, o isolamento termo-acústico e a estanqueidade à água e aos gases;

· regularizar a superfície dos elementos de vedação, servindo de base regular e adequada ao recebimento de outros revestimentos ou constituir-se no acabamento final;

· contribuir para a estética da fachada.

É importante lembrar que não é função do revestimento dissimular imperfeições grosseiras da base,(paredes,etc)

A qualidade

A qualidade das argamassas depende tanto das características dos componentes, como do preparo correto e do manuseio adequado.

A mistura das argamassas no local da obra pode ser feita manualmente ou em betoneira.

Nos dois casos é recomendável misturar apenas a quantidade suficiente para 1 hora de aplicação.

Esse cuidado evita que a argamassa endureça ou perca a plasticidade.

A água na composição

A quantidade de água de todos esses traços depende de vários fatores: a finalidade, a qualidade dos componentes, a habilidade dos pedreiros,etc.
Em caso de dúvida, consulte um profissional habilitado.

A flexibilidade

Aditivos estão sendo desenvolvidos para conferir mais flexibilidade para as argamassas.
A própria cal tem a função de tornar mais flexível a argamassa depois de endurecida.

Para aumentar a plasticidade é adicionado um quarto componente à mistura. Pode ser cal, saibro, barro, caulim ou outros, dependendo da região.

De todos esses materiais, chamados de plastificantes, o mais recomendado é o cal, também conhecida como cal hidratada.
O seu desempenho está comprovado por institutos de pesquisa oficiais.
Tanto a cal quanto os aditivos, além de conferir mais deformabilidade, melhoram a trabalhabilidade da argamassa no estado fresco.

 Temperatura

A temperatura da massa influencia muito no tempo que a mesma leva para endurecer. Quanto mais quente, mais rapidamente vai endurecer.
Quanto mais rápido a massa endurece, menos tempo útil teremos para aplicar-la e mais perigo corremos da massa secar, sem a água suficiente para alcançar a resistência necessária.

(Apenas como informação: a temperatura da massa não deve ultrapassar a temperatura de 30 graus centígrados.)

Fatores que influenciam para a massa ficar quente demais

  • areia quente;
  • água na dorna (tambor) aquecida pelo sol;
  • sacos de cimento estocados ao ar livre, em pleno sol;
  • masseiro quente;
  • a própria massa exposta ao sol.

ATENÇÃO

Não se deve comparar o concreto com a argamassa. Mesmo sendo os dois produzidos com o mesmo material, suas funções e utilização são completamente diferentes.
Enquanto o concreto é um elemento estrutural (fundações, colunas, lajes, etc) , a argamassa é utilizada para unir elementos leves (tijolos, blocos,  acabamento, etc).

Como usar ventilador corretamente

Como usar ventilador corretamente

A melhor  saída é economizar energia elétrica.

Nos dias de calor intenso, o ar-condicionado é sem dúvida o maior vilão em termos de consumo de energia. Por isso, selecionamos algumas dicas para você usar mais o ventilador e, quem sabe, deixar para usar o ar-condicionado apenas em último caso.

1) Mantenha os ventiladores limpos

O peso da poeira pode até parecer pouca coisa, mas a verdade é que acaba comprometendo o desempenho do ventilador e, é claro, a qualidade do ar.

Procure limpar o aparelho pelo menos a cada 15 dias. Desligue o ventilador da tomada, retire a parte da frente (no caso dos ventiladores de mesa e ventiladores de coluna) e retire a poeira mais grossa. Depois é só passar um pano com água e sabão neutro. Espere o aparelho secar antes de ligar novamente na tomada.

2) Posicione o ventilador corretamente

A tarefa do ventilador é espalhar um ar mais fresco pela casa e barrar a entrada de ar quente. Vale lembrar que o ar quente é mais leve que o ar frio, e por isso se concentra na parte superior do ambiente. Por isso, posicione o ventilador de modo que o vento chegue nas partes mais altas do cômodo.

Para completar, vire o ventilador para o lado da janela – não precisa ser de frente, apenas voltado para ela. Isso faz com que o ar quente entre com menos intensidade na casa.

3) Use o ventilador de teto e o ventilador de mesa juntos

Naqueles dias de calor muito intenso, tente usar ventilador de teto em conjunto com o ventilador de mesa. O truque é posicionar o ventilador de mesa para o lado da janela, como explicamos no tópico anterior, para que ele jogue o ar quente para fora.

Ao mesmo tempo, coloque o ventilador de teto na função exaustor, para que ele puxe o ar quente para cima, em vez de deixá-lo circulando dentro do quarto. Esse sistema irá favorecer o frescor do ambiente.

Pia em Granito Verde Ubatuba

Hoje daremos  dicas de pias de cozinha e os materiais mais comuns utilizados em pias de cozinha são: aço inox, pedras de granito e quartzo,  as pias de aço inox são pias que elas arranhão com muita facilidade e ultimamente elas não têm sido usadas as pias em granito elas têm uma resistência durabilidade muito maior e dependendo da pedra do granito ele gera tons diferentes para sua cozinha as superfícies de quartzo é o material industrial, ele dá uma gama de  possibilidades porque ele é resistente ele é maleável você pode inclusive esculpe a própria pia não só a bancada da cozinha mas a pia também interna você pode fazer com o próprio material é de quartzo e ele dá a possibilidade de muitas cores vermelho azul amarelo nem imita inclusive o granito eu não aconselho muito a utilizar o mármore porque é um elemento mais poroso, já o granito é uma pedra bem mais resistente e é muito mais indicado para utilização em cozinha e também a área gourmet para manutenção e utilização de uma bancada de cozinha eu sugiro sempre utilizar materiais para a limpeza que não sejam brasileiros que não venha a deteriorar a pedra então sempre um detergente neutro sempre um elemento que não venha desgastar essa pedra com o tempo também elementos cortantes como facas você não pode utilizar diretamente na pedra porque ela vai arranhar você tem que usar uma tábua e em cima da tábua para você cortar alimentos assim estragando sua bancada. Nas promoções desta semana temos o granito Verde Ubatuba ele combina com diversos tons de madeira e fica lindo

Dicas de como limpar o mofo

Dicas de como limpar o mofo

Existem diversas formas de limpar o mofo das paredes e móveis, no entanto, a solução faz uma limpeza temporária no local. Não resolve o problema, mas limpa o preto do mofo, que faz mal para a saúde, faz mal para o ser humano, e além disso, deixa a parede feia.

Para limpar as paredes externas do imóvel, aconselha-se que seja usada água sanitária, misturada com água e detergente. Nas paredes internas, a profissional usa desinfetante ou água oxigenada, diluídos em água. Para aplicar o produto, ela usa uma escova.

Os móveis que ficam próximos a paredes com mofo, podem ser contaminados pelos fungos, além disso, o mau cheiro pode penetrar na madeira. Ela relação a isso, a primeira dica, de acordo com a profissional, é retirar o móvel de perto do parede mofada, entretanto, caso não seja possível, ela explica que pode-se colocar um isopor entre a parede e o móvel. Isso impede que a umidade da parede chegue ao móvel.

Giz ajuda a reter a umidade do ar, diz especialista
Giz ajuda a reter a umidade do ar, diz especialista

Quando se descobre que tal lugar tem esse problema, o ideal é evitar encostar móvel nessa parede, porque abafa e a tendência é aumentar o mofo, porque os fungos se proliferam e você veda a umidade. Lembrando que a umidade na parede vai continuar.

Quanto ao mofo dentro dos armários, primeiro, se deve limpar o armário por dentro com vinagre de álcool puro. Em casos críticos, ferva o vinagre e quando ele estiver fervendo, coloque em um tabuleiro, uma forma de assar bolo, e coloca dentro do armário. Quanto maior a forma, parece que o vapor expande mais no armário e da um resultado melhor.

Depois, feche o armário e deixe o vinagre agir até esfriar. Com o mesmo vinagre, molhe um pano e limpe o armário. Mesmo que não tiver preto, mofado, o cheiro está impregnado na madeira, ou no MDF, então, deve-se limpar com o vinagre e, depois que limpar, deixe secar. Deixe o armário aberto, porque o vapor umedece. Pode ate colocar um ventilador para ajudar a secar.

Pó de café com gotas de limão neutraliza cheiro do mofo.
Pó de café com gotas de limão neutraliza cheiro do mofo.

As medidas dos produtos usados são meio a meio, de cada um. Isso serve para limpar o mofo. A água oxigenada tem que ser de 10 volumes, 3%, diluída com água. Também pode usar o vinagre, vinagre de álcool.

Após a limpeza, utilize pó de café com limão para tirar o cheiro do mofo e afirma que foi a única solução que encontrou. Como:

Em um pote, coloque o pó e pingue gotas de limão para umedecê-lo. Não é para molhá-lo. Coloque-o em um potinho dentro do armário. A quantidade depende do tamanho armário. Em um armário de duas portas, coloque dois potinhos, uma em cada canto, em uma vasilha de plástico. Escolha um pó bem cheiroso. Não pode ser a borra de café.

Essa técnica neutraliza o cheiro e não precisa ser tirada de dentro do móvel. Cubra a boca do pote com papel filme e faça furinhos, só tiro quando passa todas as chuvas do período o chuvoso.

Outra alternativa para conter a umidade do ar é o giz escolar. Quebre vários bastões de giz e coloque em um pote dentro do armário. As pessoas acham que o giz não funciona, porque acham que dois bastãozinhos de giz é suficiente, mas não. Pode usar meia caixa de giz lá dentro do móvel. Corte o giz no meio e coloque no cantinho do armário e deixo sempre.

Problemas causados à saúde

Segundo explica o alergista Daniel Strozzi o mofo é um fungo gerado pela umidade que pode provocar alergias respiratórias, como rinite, bronquite e asma. Ele afirma que a alergia é um processo inflamatório que provoca uma reação de sinais de defesa do organismo, como coceira e entupimento nas vias nasais, espirro e tosse. Ele explica que, quando uma pessoa alérgica a mofo, por exemplo, entra em contato com tal, o corpo tende a reagir.

“A gente avalia cada caso, mas, se o paciente é alérgico, ele não pode ficar em contato com o que causa a alergia. Com o mofo, por exemplo, quando ele dá o processo inflamatório, o paciente tem que resolver o problema e não pode ficar em contato. E onde tem mofo, pode ter o ácaro junto, que também pode trazer outros problemas respiratórios”, afirma.

Strozzi revela que as doenças causadas pelo mofo, em geral, não são graves, no entanto, uma rinite alérgica – moderada a grave – em uma criança, pode causar efeitos como dormir de boca aberta, ronco, noites mal dormidas e, consequentemente, gerar a queda no rendimento escolar.

“O nariz serve para respirar, filtrar e umidificar o ar para que ele chegue no pulmão adequadamente e, se a criança tem rinite, com o nariz inflamado, o corpo não consegue fazer esse processo e ele pode perder o rendimento em uma média de 30 a 90%”, completa o alergista.

Como evitar e tratar mofo nas paredes e móveis

Como evitar e tratar mofo nas paredes e móveis

Impermeabilização é principal meio de evitar, mas deve ser feita na obra

Com o período chuvoso e o aumento da umidade é normal a formação de manchas e mofos nas paredes, tetos e móveis. Em Goiânia, profissionais explicam como agir após o surgimento deste problema e como tratá-lo. Segundo eles, existem métodos temporários e definitivos para combater o mofo, como a impermeabilização, por exemplo, no entanto, o ideal é que ela seja feita durante a construção do imóvel.

O período chuvoso é entre os meses de novembro e março. No entanto, outubro e abril são considerados meses de transição do período chuvoso, por isso, também chove. Para realizar métodos de combate ao mofo, o ideal é que o clima esteja seco.

A área a ser impermeabilizada tem que estar bem seca ou não pega a impermeabilização. Além disso, no período de sol, o tempo facilita a secagem. Ideal é fazer na seca, depois que o problema acontece, o melhor é apostar nas  técnicas alternativas, pois a solução definitiva é inviável em relação ao custo benefício. No entanto, estes métodos temporários têm data de validade, já que duram entre um a cinco anos.

Uma das opções para remediar o problema, segundo o engenheiro, é fazer o tratamento superficial, que se trata de tirar a tinta e a argamassa com uma espátula, no local do mofo, e aplicar um produto impermeabilizante. Depois de seco o produto, é só amaciar e pintar a parede.

Outra alternativa é usar estilos de tinta como o grafiato, que possibilitam uma durabilidade maior da tinta. Algumas pessoas também usam a cerâmica ou as pastilhas, mas tem questão de estética e tem gente que não gosta. O problema é que depois de alguns anos, quando o mofo tomar conta da cerâmica, ela se solta e cai. Porque a umidade continua abaixo da argamassa para assento.

Impermeabilização
Em relação à impermeabilização,  o processo deve ser feito no momento da construção do imóvel com vários tipos de produtos disponíveis no mercado, como com mantas emborrachadas ou asfalto polimérico.

Tem que ter o cuidado de seguir com a manta e fazer a impermeabilização na parede, até acima do nível da terra. Em jardins ou áreas descobertas de estacionamento, por exemplo, deve ser feito acima do nível para evitar o contato com a umidade.

Teste de estanqueidade é feito após a impermeabilização
Teste de estanqueidade é feito após a impermeabilização

É necessário tomar cuidado com a impermeabilização de ralos, pois eles são propícios para causar infiltrações.

Os ralos são onde a água tem mais facilidade para entrar. Então, depois que preparamos a superfície para vir a impermeabilização, criando o caimento para o ralo, para quando vir a manta, tendo condições de fazer o acabamento e não ter problemas futuros

É muito importante que seja feito o teste de estanqueidade, depois da impermeabilização, para testar o processo deu certo. O teste é feito em qualquer tipo de local impermeabilizado.  Depois que impermeabiliza, deve-se deixar o local coberto de água, por até 72 horas, em toda a região impermeabilizada, para ver se tem vazamento ou se ficou tudo certo com a manta, se todos os cuidados foram eficientes.

Viafix da Viapol

Viafix da Viapol

O Viafix é um promotor de aderência que oferece alta resistência mecânica para concreto, chapiscos e argamassa. Ele evita a retração da argamassa e possui grande plasticidade.

Com produtos  Viapol é assim: usou, resolveu!


Os produtos da Viapol você encontra nas Lojas do Grupo Construfran com os melhores preços.

Pensando em Reformar ou Construir procure uma das lojas do Grupo Construfran – A solução para sua obra.

 

 

 

 

Click aqui e veja como usar e onde aplicar o Viafix

10 Dicas de obras e reformas

10 Dicas de obras e reformas

É um paradoxo. Ter a casa dos sonhos, especialmente planejada para cada morador, é um anseio quase que unânime. Ao mesmo em que a maioria das pessoas têm calafrios só de pensar no trabalho que dá realizar uma reforma.

Tal impasse pode adiar ou até mesmo anular os planos de reformar, construir ou dar aquela renovada nos ambientes. Mas seguindo algumas dicas, é possível reformar a casa gastando pouco e encarar as obras com tranquilidade e segurança. Confira 10 dicas de obras e reformas que farão toda a diferença no processo e no resultado final das intervenções.

1 – Faça um bom planejamento

Planejar é o primeiro passo no caminho certo para que tudo corra bem. Desenvolver um bom projeto de arquitetura é o início de uma reforma ou construção de sucesso e funciona como instrumento eficaz para a economia.

A função de um projeto é definir tudo o que será feito, desde a criação até a execução da reforma. Defina com clareza o que você deseja e precisa, compile referências e coloque tudo na ponta do lápis. Assim, você terá uma noção do custo global da reforma e será mais fácil decidir o que realmente será feito. As perdas geradas pela falta de um projeto ou por projetos mal feitos são enormes e vão da escolha de materiais inadequados ao retrabalho, o que significa dinheiro jogado fora. Para evitar problemas, conte com os serviços de um arquiteto!

2 – Procure um profissional capacitado

Para desenvolver um ótimo projeto, é necessária a intervenção de um bom profissional de arquitetura. Ele é a pessoa mais apta a ajudar a definir desde os primeiros passos até a entrega final da obra. Em conjunto com o proprietário, é sua responsabilidade desenvolver um bom planejamento, que abranja todos os detalhes e cuidados necessários pra que tudo se desenvolva da melhor maneira possível.

3 – Pesquise, pesquise e pesquise

Com o projeto e a lista com o detalhamento dos materiais em mãos, chega a hora de pesquisar os preços e negociar a forma de pagamento. Lembre-se sempre: muitas vezes, o barato sai caro! A ajuda do arquiteto nessa etapa é fundamental, já que ele é capacitado para aliar preço, qualidade, estética e harmonia e encontrar as melhores peças e soluções. Ele irá adequar o que você precisa e deseja ao orçamento disponível para manter tudo sob controle, evitando prejuízos. Pesquise e faça vários orçamentos antes de fechar um pedido.

4 – Contrate uma mão de obra especializada

Em uma obra, a mão de obra é responsável tanto pelo sucesso dos detalhes finais, quanto por um possível desastre total. Por isso, o ideal é que haja, com a ajuda do arquiteto, a contratação de uma equipe especializada para que tudo corra bem.

Há no mercado uma enorme variação de preços de execução. Você pode contratar uma empreiteira ou algum pedreiro indicado por pessoas confiáveis. O que varia os valores é o nível de especialidade de cada profissional. Opte por aqueles que possuem referências, que trabalhem sob contrato e cumpram a legislação em vigor.

5 – Não abra mão do acompanhamento da obra

Para que sua obra saia como projetado, é importante que o arquiteto acompanhe o desenvolvimento em visitas periódicas em todas as etapas da intervenção. Dessa forma, se houver algum problema inesperado, você sempre terá um profissional ao lado para resolver a questão sem desespero.

Um bom profissional estará apto a prestar supervisão, coordenação, gestão e orientação técnica. As visitas são diretamente combinadas com o cliente, e a frequência varia de acordo com a fase da obra, podendo ocorrer de duas vezes por semana a uma vez por mês.

6 – Monte um cronograma

O serviço de administrar uma obra vai muito além de comprar os materiais que os prestadores solicitam. Antes do início, é importante reunir todos os envolvidos e questionar datas e prazos e o que poderá acontecer de imprevistos durante a obra. A compatibilização dos serviços.

Para defini-lo, converse com o seu arquiteto e exponha suas necessidades. Ele alinhará as datas ao desenvolvimento da obra, considerando detalhes como compra e entrega de materiais e jornada de trabalho dos profissionais envolvidos.

7 – Fique de olho nos EPI’s

Verifique se os profissionais envolvidos possuem equipamentos de proteção individual (EPI). Assim, é possível manter a segurança de todos na obra. São exemplos de EPI’s: luvas, capacete, óculos de segurança, coletes e botas.

8 – Se prepare para as adversidades

Transtornos fazem parte de qualquer obra. É inevitável, então se cerque de profissionais capacitados. Muitas vezes se prevê a alteração de alvenarias, pontos elétricos e rede hidráulica, e são esses profissionais que vão resolver os problemas que vierem pela frente sem maiores dificuldades.

9 – Evite colocar vários fornecedores trabalhando juntos

Colocar vários fornecedores trabalhando juntos, como em assentamento de piso e forro de gesso, dificulta o controle da qualidade dos trabalhos. Muitas vezes, um atrapalha o outro. Então, o melhor é que um trabalho seja realizado e avaliado de cada vez.

10 – Faça uma boa limpeza pós-obra

Não há como desassociar obra de sujeira. Com a finalização, pode acontecer de a pintura ter respingado o piso, massa corrida nos azulejos… O ideal é que se faça uma limpeza pesada após a reforma.

Tome cuidado com os materiais a serem utilizados: alguns podem ser incompatíveis com o tipo de piso assentado, outros podem danificar a pintura. Existem algumas empresas especializadas nesse tipo de limpeza. Na dúvida, não arrisque. Conte com o serviço desses profissionais.

Seguindo essas dicas, não tem erro. Embarque com tudo na delícia que é renovar a casa e desfrutar de um resultado que deixará o seu lar ainda mais aconchegante.

fonte: http://www.acasaarquitetura.com.br/10-dicas-de-obras-e-reformas/